Home / Geral / Em Posse, criança albina é beneficiada durante Acelerar Previdenciário

Em Posse, criança albina é beneficiada durante Acelerar Previdenciário

A pele e o cabelo extremamente brancos tiraram o anonimato de Gleyson Barbosa dos Santos, de 9 anos, enquanto esteve no fórum de Posse. Tímido e de poucas palavras, foi com o olhar que o garoto agradeceu o juiz Rodrigo de Melo Brustolin que condenou o Instituto Nacional do Seguro Social (Inss) a pagar para ele, no prazo de 60 dias, o Benefício de Prestação Continuada (BPC) da Lei Orgânica da Assistência Social (Loas), no valor de um salário mínimo. A audiência ocorreu na comarca, durante a realização do Programa Acelerar – Núcleo Previdenciário na Região Nordeste do Estado.

O magistrado ressaltou que o benefício pleiteado por Gleyson visa exclusivamente que as pessoas idosas ou port deficiência que não possuem meios de prover sua subsistência nem tê-la provida por suas famílias possam atender às suas necessidades mais urgentes com alimentação e vestuário com o mínimo de dignidade, até o momento em que estiveram aptas a exercer alguma função no mercado de trabalho. Assim, para ele, ficou constatado que devido ao albinismo a criança é “permanentemente incapaz” para o exercício de sua atividade laborativa.

A criança é portadora do albinismo, fazendo com ela não passe despercebida. Sem cura, a doença é caracterizado pela ausência completa ou parcial de pigmento na pele, cabelos e olhos. Estatisticamente, entre 1 em 17 mil e 1 em 20 mil pessoas é albina.

Segundo apurou a mãe de Gleyson, Maria Edilene Barbosa dos Santos, de 32 anos, não há parentes albinos na família. Por conta disso, o choque foi tão grande quando ele nasceu. O garoto tem três irmãos, de 14, de 11 e de 6 anos, sendo o único albino da família.


O loirinho

“Foi um susto, nunca imaginei que teria um filho de cabelos e pele tão brancos”, disse Maria Edilene, de 32 anos, há 9 anos quando deu à luz Gleyson Barbosa dos Santos. Sem conhecimento da doença, ela não conseguia entender o motivo do filho ser “tão branquinho”, já que tem a pele escura e o pai do garoto é negro. “Tive outros filhos e eles todos são de pele escura”, contou.

Ao ver sua reação, a enfermeira cochichou em seu ouvido: “Parabéns! Seu filho é albino e lindo”. Ela já havia ouvido falar sobre o albinismo uma única vez. Foi quando a “ficha caiu” e ela se deu conta do que estava acontecendo. “Aí tudo mudou. Ele é minha luz, minha vida. Foi o presente que Deus me deu. Tem coisa mais angelical?”, indagou.

A entrada na escola não o trouxe boas lembranças, por dois motivos: primeiro porque descobriu que teria de suar óculos de grau e o outro foi o preconceito. “Ele foi vítima frequente de piadinhas maldosas, o branquelo, o esquisito”, revelou a mãe.

Gleyson não gosta de falar sobre a sua situação, mas garante que isso não o incomoda mais. “Minha mãe me explicou. Eu sei que sou diferente. As pessoas ficam me olhando. Mas faço as mesmas coisas que as crianças da minha idade fazem”, disse, ao falar que gosta de jogar futebol com os colegas da rua e tomar banho em um rio perto da sua casa.

Porém, ele afirma que o que mais lhe incomoda são os olhos. “Nos dias de sol forte, geralmente ele não pode brincar, porque a luz intensa entra nos olhos e ele não consegue enxergar”, disse a mãe. A mulher garantiu que o dinheiro do benefício vai ajudar no tratamento oftalmológico. “Ele precisa de cuidados redobrados nos olhos, senão pode ficar cego”, disse.

Acelerar Previdenciário chega a São Domingos neste sábado
Após a comarca de Posse, o Programa Acelerar – Núcleo Previdenciário chega a São Domingos neste sábado (24), para a realização de audiências previdenciárias. A equipe do Acelerar Previdenciário iniciou o trabalho no nordeste goiano, na segunda-feira (17), em Flores de Goiás. A força-tarefa, que terminará na próxima semana, passará ainda pelas comarcas de Alvorada do Norte e Iaciara.

Ao todo, serão cinco comarcas da Região Nordeste de Goiás. A região é considerada a mais pobre do Estado e engloba 20 municípios, dos quais 15 serão beneficiados com a iniciativa. Durante os três dias de trabalho em Posse, passaram pelo fórum local cerca de mil pessoas para a realização de aproximadamente 300 audiências relacionadas a aposentadoria rural por idade e por invalidez, aposentadoria urbana por idade, auxílio-doença, salário-maternidade e Loas.

Fonte: TJGO (Texto: Arianne Lopes/Fotos: Aline Caetano – Centro de Comunicação Social do TJGO)

Veja Também

Banco do Povo incentiva formalização dos pequenos negócios e fomenta a economia goiana

Casal conta com a ajuda de familiares e de uma funcionária no restaurante. Gabriela Louredo ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *